domingo, 4 de abril de 2010

Dança comigo

O teu peito beija o meu
Escuto o bater
Em vibrações silenciosas
Com ecos em espasmos

As mãos abordam os ombros
E o corpo desliza
Na harmonia instrumentada
Exercitada em golpes da alma

Um singelo canto
Nos flancos da deslocação
Os cabelos dispersam-se
Na brisa que envolve o decorrer

Compassos autênticos
Com as silhuetas de fronte
A vislumbrarem o ar
Na insustentável suavidade
Dos passos
As faces coladas
Num jugo em sintonia…

Vem!
Amor dança comigo
Mais uma vez…

Ana Coelho





1 comentário:

  1. Minha querida
    Que ternura e beleza de poema...adorei.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderEliminar