domingo, 20 de dezembro de 2009

Jardim ao luar

Num jardim de luar

Bailo no silêncio
Das tuas ardentes mãos

O corpo inflama
Nas fontes nítidas
Estrelas infinitas
Nas curvas do profundo olhar

Os lábios seguros ao horizonte
O mundo renasce
Com os ombros colados
No rasto do céu…

Acalento o teu perfil a sorrir
Na concha da ilharga
Densa
Esvoaçam asas na espuma
Por ti vertida…

Enroscam-se nus os sentidos
Dança a valsa do espírito
Nos impulsos em ecos

Acordam notas soltas
Bebidas com sofreguidão…

Ana Coelho









1 comentário:

  1. Amiga Ana

    Minha ausência não significa abandono dos amigos. Apenas a impossibilidade de permanência no PC, devido ao problema de visão. O tempo que utilizo no PC, é pouco mais que as postagens, No entanto nesta quadra que entramos, não podia deixar de passar para deixar os meus votos de um Natal
    Feliz e um Novo Ano próspero, na companhia de quantos lhe são queridos. Espero muito brevemente por estar mais presente junto dos amigos.

    Beijinhos

    Alvaro

    ResponderEliminar