quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Cais de amor

A limpidez do diamante
luz forte e cristalina
os olhos apaixonados
nas pálpebras me abraças
meu exilo resguardado
nos lábios calmantes
na epiderme da vida
essência que me acalenta
a sede e a fome da alma.

Deslumbrada pelo calor
que teus braços seguram
neste cais de amor
minha âncora segura.

Envolvida de veludo
como jóias preciosas
vindas do oriente,
na brancura das vestes
despidas de acrimónia.

Mergulhada no teu peito
sinto a brisa suave
o pulsar dos sentidos
nas asas do vento
rasgadas pela ternura.

Ana Coelho

1 comentário:

  1. Simplesmente maravilhoso Ana.Beijos

    Ps: O que se passa no luso, não consigo entrar, diz que suspendeu os serviços por tempo indeterminado

    ResponderEliminar