sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Silêncio inquieto

A paixão não é palavra
é silêncio inquieto
em flexíveis gestos de perfume,
desenha emoções
tatuadas na epiderme do coração
sentimentos que brotam
de súbita comoção,
nasce como roseira selvagem
num campo infinito
no corpo e alma
rebentos indomáveis
regados pelos lábios
que nutre as pétalas aveludadas
o tempo amadurece em amor
sublime sentimento no aroma do sol.

Ana Coelho

Sem comentários:

Enviar um comentário