segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Infinito amor

Desliza a madrugada
embalada na doce canção
das tuas palavras...
O meu peito suspira
soluços embriagados
no infinito amor
da primavera dos teus lábios,
o verão que trazes nas mãos
os meus cabelos de luz
alvorada de emoções...
Teus olhos negros espelham paixão
o sonho em que te encontrei
quando o teu olhar me procurava.
A minha alma estremece
na imensidão do amor
que escorre em seiva suave,
de quem ama e é amado...

Ana Coelho

1 comentário: