sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Altar de rosas vermelhas

As tuas mãos de seda
A cor rubi dos teus lábios,
Gestos que me fazes sentir
Nos dedos arrepios
Do sol extraído do teu corpo
Fugaz,
Brisa aromática
Coroada nos meus cabelos,
Deslizam no teu peito
Vibrações virgens e loucas
No cio do amor.


Altar de rosas vermelhas
Dois corpos
Em pétalas desfolhadas,
A volúpia transpirada
Correntes de sedução
Guardadas na concha
Onde o teu segredo
Se encontra com o meu.

Ana Coelho





2 comentários:

  1. Seja benvinda Ana.
    Os seus poemas são lindos e tão fortes, tão cheios de sentimentos profundos...!
    Obrigada por ter surgido da Blogosfera e vindo até aqui.
    Vou voltar para a ler poema a poema.
    Maria

    ResponderEliminar
  2. Metaforicamente lindo e perfumado! assim é o amor...

    Beijo

    Et

    ResponderEliminar