domingo, 21 de março de 2010

“Não tenhas medo”

Há um caminho
Calcetado por pétalas
Na distância dos canteiros da solidão
Por onde desliza
O meu caminhar

A rua que passa por mim
E me leva à voz do meu amor!
É o tempo quente
No cochicho do meu levitar

Em murmúrio escuto
Dos seus lábios finos
“Não tenhas medo”
E nos meus ombros
Sinto os seus braços ancorados

Dentro de íntimo
Caí o sono no aromático momento
Na nudez de todas as esquinas do pensamento.

Ana Coelho








1 comentário:

  1. Lindo poema, gosto muito da sua poesia.

    Há um caminho
    Calcetado por pétalas
    Na distância dos canteiros da solidão
    Por onde desliza
    O meu caminhar

    Muito belo

    Sonhadora

    ResponderEliminar