domingo, 27 de junho de 2010

Prantos de volúpia

Mergulhamos os corpos
num mar em efervescência
com braçadas suaves
navegamos em águas aquecidas

Velejamos
com os dedos na proa
o mastro erguido
no desejo lascivo
oscila em prantos de volúpia

Deitados na areia
acariciamos os corpos
exaustos
contemplamos o sol
que se desvanece no horizonte
do nosso olhar

Ana Coelho






2 comentários:

  1. Ana: Nem de proposito teu poema fala da praia adorei escreves coisas lindissimas, mas por falar da praia foi na praia do tamariz que eu tive um sonho de verão esse sonho foi com a pessoa que eu depois conheci me apaixonei e me casei nunca tinha escrito nada há dias estnado a passear junto a essa praia que é No Estoril Cascais, me lembrou escrever o meu sonho de verão.
    Um beijo
    Santa Cruz

    ResponderEliminar
  2. Minha querida
    lindo e sensual poema, adorei.

    beijinhos com carinho

    Sonhadora

    ResponderEliminar