quinta-feira, 24 de março de 2011

Pensamento sem voz


O crepúsculo abre o novo calor
nos gumes do olhar,
acariciam-me
os últimos raios finos
de um imenso sol
que o meu pulsar veste…

Desce a colina
deita-se no lençol do rio
nos braços da noite
que acorda sonâmbula
com o pensamento sem voz…

As emoções sorriem nos olhos!

Os teus passos
aproximam
as batidas suave do coração.

…O teu beijo
é a ânsia que agora se desvanece
com o meu rosto
deitado nos teus ombros!

Ana Coelho

2 comentários:

  1. Na voz sem se pensar, deste voz ao poema... belíssimo. Parabéns por este teu cantinho perfumado de mil rosas... que só hoje conheci.
    Beijinho
    Chris

    ResponderEliminar
  2. ...traigo
    sangre
    de
    la
    tarde
    herida
    en
    la
    mano
    y
    una
    vela
    de
    mi
    corazón
    para
    invitarte
    y
    darte
    este
    alma
    que
    viene
    para
    compartir
    contigo
    tu
    bello
    blog
    con
    un
    ramillete
    de
    oro
    y
    claveles
    dentro...


    desde mis
    HORAS ROTAS
    Y AULA DE PAZ


    COMPARTIENDO ILUSION
    ANA

    CON saludos de la luna al
    reflejarse en el mar de la
    poesía...




    ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CHAPLIN MONOCULO NOMBRE DE LA ROSA, ALBATROS GLADIATOR, ACEBO CUMBRES BORRASCOSAS, ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER ,CHOCOLATE Y CREPUSCULO 1 Y2.

    José
    Ramón...

    ResponderEliminar